Campos de Férias

Muitos desejos e projectos se avizinham da realidade. As férias aproximam-se velozmente e com elas as preocupações parentais sobre o que irão os seus filhos fazer no seu tempo de lazer e descanso. As opções são variadas e certamente muito interessantes. Ficar em casa e brincar no bairro, estar com os amigos num clube ou ATL, passar férias com familiares, realizar férias desportivas, entre outras opções que façam vibrar e descontrair as crianças e adolescentes neste período merecido de descanso!

Uma opção que provoca sempre muita espectativa, ansiedade e euforia é a participação das crianças nos campos de férias! Muitos anseiam tanto por estes momentos que provocam inclusive ciúme parental, em que as crianças preferem as férias com os amigos preterindo as férias (às vezes chatas) com os pais.

Para alguns é o repetir de experiencias positivas de anos anteriores em que regressam com maior descontracção aproveitando certamente para se divertirem mais ainda. Para outros é a primeira experiência.

A primeira vez de um sem número de coisas novas! Novas amizades, novos momentos longe dos pais, novos jogos e brincadeiras, novos desafios acopladas a uma maior responsabilidade também. Para além de se divertirem, para voltarem nos próximos anos, é de todo conveniente terem uma conduta ajustada e que não existam queixumes do comportamento, educação e atitude para com os colegas!

Permanecer longe dos pais por uma semana ou duas é um verdadeiro desafio para muitas crianças, mas ao mesmo tempo, torna-se uma boa maneira d conquistar novas amizades, tornarem-se mais auto confiantes e responsáveis. Muitas crianças vivenciam nos campos de férias os primeiros tempos fora de casa e sem os pais. A ansiedade é grande, o desejo de “liberdade” e pouco controle também. Contudo é uma liberdade aparente pois nestes campos existem regras, monitores, vigilantes que impedem excessos por parte das crianças. Eles nem sempre gostam desse controle mas é absolutamente fundamental.

Com larga tradição nos Estados Unidos, os “Summer Camp” são parte integrante já da tradição estudantil! Em Portugal é uma actividade relativamente recente mas já com uma oferta significativa e de muita qualidade. São diversos os campos de férias espalhados pelo país onde se desenvolvem actividades estimulantes e proporcionam-se momentos de eleição para a diversão infantil e juvenil.

A adaptação das crianças e adolescentes aos campos de férias é geralmente simples, pacífica e sem grandes complicações. Existem casos pontuais de inadaptação ou saudades extremas dos pais, que provocam insegurança e antecipam um regresso mais cedo a casa. Mas são excepções, mesmo nas crianças mais pequenas. Com idades a partir dos 8 a 10 anos muitas crianças são incluídas nos campos de férias sem qualquer objecção. Desde que a criança queira ir, demonstre agrado pelas actividades e pelo local e se sinta segura estão reunidas as condições para avançar sem receios nestas experiências marcantes para os nossos jovens. Em idades mais precoces o aconselhado é ir com um amigo ou conhecido para facilitar a integração

Como atrás referi, a oferta em Portugal já é considerável e com uma diversidade de actividades, tipos de locais, dimensão temporal dos campos e preços variados, o que favorece a escolha dos pais e filhos na altura da opção. Actividades ao ar livre são sempre contempladas o que é uma excepcional mais-valia, passeios, jogos de grupo, actividades radicais, actividades aquáticas, actividades desportivas e culturais até mesmo actividades agrícolas e pecuárias! Há de tudo um pouco para poder optar segundo o interesse dos filhos. Existem campos pequenos, com número mais reduzido de participantes ou campos situados em quintas ou mesmo herdades de grandes dimensões com grande afluência de crianças e jovens.

Para além da diversão e de uma experiência diferente considero que os campos de férias são úteis para as crianças e adolescentes. Aqui fazem novos amigos, com interesses comuns e diferentes, com vivências diferentes em que todos estão num mesmo nível. Sem que o nível económico, social e cultural seja perturbador das amizades criadas. Também é um excelente exercício de promoção de autonomia e responsabilização para os mais pequenos. Aqui vivenciam estar longe dos pais, onde aplicam regras de civismo, de boa educação, de conduta, de convivência com os outros, desenvolvem competências de socialização, de trabalho em equipa assim como de respeito pelos responsáveis hierárquicos.

Não só para as crianças os campos de férias trazem benefícios. Para os pais também! É um tempo que lhes permite estar tranquilos com os seus filhos e poder desfrutar da tranquilidade a dois muitas vezes ausentes do dia-a-dia. Trabalham também o afastamento dos filhos que ocorrerá mais tarde ou mais cedo e estas experienciam permitem aos pais aprenderem também a lidar com a ausência e saudades dos filhos.

Importa referir que os campos de férias podem ter todo este encanto de experiências e vivências mas também pode acarretar alguns dissabores. Os pais devem assegurar-se da segurança e cumprimento da legislação em vigor. Certificar-se da formação e experiência dos monitores. Devem tentar falar com alguém que já tenha experimentado determinado campo para averiguar como é o real funcionamento do campo. Não se iluda apenas pelas descrições de actividades a realizar ou pelas boas fotografias de gente sempre muito divertida! Reforço também a ideia das instruções prévias a dar ao seu filho. Que deve pedir ajuda sempre que necessário sem se sentir constrangido. Informar como proceder em caso de se sentir doente ou das dificuldades que poderá ter de enfrentar ao longo dos dias.

Finalizo com a reflexão de que acima de tudo considere o real interesse dos filhos em participar num campo de férias. São eles que têm de ficar agradados, não os pais. Os campos de férias nunca devem ser depósitos de crianças para descanso dos pais!

 

Leave a Reply