exames

O Jornalíssimo, pela jornalista Joana Fillol, fez uma reportagem onde nos solicitou ajuda para um artigo sobre preparação de exames.

exames

Perguntámos a Renato Paiva, autor do livro “O Sucesso na Escola”, o que fazer antes, durante e depois das provas.

Se há mês stressante para um estudante é junho, o mês dos exames, de pôr os conhecimentos de vários meses, se não mesmo de anos, à prova.
Nesta altura, já toda a matéria deveria estar estudada. Mas, como diz Renato Paiva, é comum que a maioria dos alunos estude sobretudo no período que antecede os exames – “parece já cultural”, comenta.”

 

Clíque na imagem  ou aqui para aceder a todo o artigo

 

e816016d-4dbd-4c43-8722-768b9d1eb04b

 

 

A convite do agrupamento de escolas Padre José Augusto da Fonseca em Aguiar da Beira, hoje estaremos na promoção de um encontro com pais e professores para falar sobre as implicações do estudo no sucesso académico.

Trezentos e muitos kilometros nos separam desta localidade, mas a vontade de ajudar quebra fronteiras e motiva-nos a percorrer o caminho. Desejamos que os pais também percorram o seu para que os alunos tenham tranquilidade no seu percurso, no seu caminho académico rumo ao sucesso.

orgnanizar

Saber estudar é importante mas quando será melhor altura para o fazer? Não há uma altura ideal para que o seu filho estude assim como a altura mais rentável e produtiva do seu filho pode não ser a mesma de outra qualquer criança. Há estudantes que produzem melhor de madrugada, outros a meio da tarde e outros de manhã.

Não obrigue o seu filho a estudar. Incentive o seu filho a estudar! Demonstre-lhe que o estudo faz parte de ser estudante e que contribui para o seu sucesso. Se sentir como uma obrigação será certamente encarado de forma negativa. Converse sobre a escola de forma positiva e com encanto. Evite falar das suas experiências menos positivas e partilhe as situações em que teve sucesso, de que forma se sentiu nesses momentos e o que fez para que acontecessem!

A criação de um hábito de trabalho, de uma rotina de estudo é a melhor opção. Rotina essa que organiza e clarifica o trabalho necessário efectuar. Os adolescentes que têm objectivos mensuráveis, devem ter esta preocupação sempre presente.

Tente com que o seu filho reflicta sobre a altura em que lhe é mais rentável estudar. A maioria tem maior proveito do seu trabalho de manhã ou a meio da tarde, no entanto há excepções. A maioria das vezes não é possível estudar durante o horário de maior rendimento, pois está já sobreposto com outra actividade, muitas vezes a escola!

Sugiro que pegue num horário e comece por preenchê-lo com as actividades já marcadas que não pode alterar como o horário escolar. Nestas actividades, as desportivas devem estar presentes. É importante que a vida do seu filho não seja apenas dedicada à área académica do tipo sair da escola, ir para a explicação, chegar a casa, tomar banho, jantar e deitar! Nos entretantos vai estudar mais um bocadinho. Enfadonho não? A actividade desportiva, para além de excelente em termos de saúde, é também muito benéfica para que a criança experimente outros ambientes, com outros objectivos, outras motivações, outros amigos,…

Após ter preenchido o horário, não se esqueça do sábado e domingo, tente encaixar os tempos de estudo nos espaços que sobram e considere o perfil de aprendizagem do seu filho, tendo em conta o período que para ele é mais produtivo.

A maioria das crianças tem maior produtividade após momentos de descanso, quando estão bem alimentados e menos cansados. O período da manhã ou início da tarde são os mais propícios para estudar onde o cansaço ainda não se faz sentir de forma tão evidente.

A maioria das resistências ao estudo prendem-se com o  inicio do estudo. A rotina e a prática diária desta actividade tornam mais fácil o início dos trabalhos de modo a que o adolescente não ofereça tanta resistência.

Aconselho que os alunos estudem em duas perspectivas. Na revisão do que estiveram a trabalhar no próprio dia, aproveitando ainda o que têm em memória de forma a relembrarem mais rapidamente os conteúdos trabalhados. E no reforço de matérias já trabalhadas anteriormente. Este é um ponto importante! Se formos ao longo do tempo fazendo pequenas revisões do que foi trabalhado há mais tempo, a nossa compreensão das temáticas será mais complexa e sobretudo será mais simples de a articular e relacionar com aprendizagens anteriores tornando-a mais significativa.

Em dias em que a carga horária é maior, reduza o tempo de estudo, compensando-o num outro dia mais folgado. Não permita grandes períodos de estudo intensivo.

Deixe o fim-de-semana o mais livre possível, mas não totalmente livre! Podem existir pequenos momentos de estudo que possam ser úteis para recuperar uma matéria atrasada, fazer um trabalho de grupo ou mesmo para colmatar um qualquer imprevisto surgido durante a semana.

Considere pausas durante o estudo, cerca de 15 minutos por cada 45 numa regra de ¾ de estudo para ¼ de descanso. Nesse descanso deixe a criança faça o que lhe apetece! Ver televisão, ouvir música, ir comer, ir ao wc, telefonar, gritar, correr,… A regra é uma, não pensar em nada relacionado com o estudo! Terá tempo quando voltar!

 

 

DSC_3074

No passado sábado tivemos o privilégio de ser convidados para partilhar a nossa experiência e conhecimento no encontro “Educar com Amor” da Associação Ester Janz em Lisboa.

Com sala cheia de pais e profissionais, na voz do nosso director Renato Paiva, abordamos algumas inquietudes sobre a temática do estudo.

O que é estudar? Como se estuda? O que é um estudo eficiente? Porque não resulta mesma metodologia com todos? O que pais podem fazer? O que professores podem fazer? …? Foram algumas das muitas questões abordadas da forma informal, divertida e próxima do publico participante que já nos caracteriza.

cartaz alunos


Os exames estão à porta e o estudo para os exames deve ser preparado de forma cuidadosa pois os exames podem ser decisivos.

Grande parte dos alunos não sabe nem aprendeu como estudar e é uma competência que sabemos ser fundamental e transversal a qualquer disciplina ou ano de escolaridade. Saber estudar e preparar eficientemente exames é fundamental para o sucesso dos alunos e é pouco frequente que seja ensinado nas escolas.Saber fazer um bom resumo, conhecer as técnicas mais indicadas para sublinhar um texto, saber que abreviaturas usar para tirar apontamentos, qual o ambiente mais favorável para o estudo, saber como preparar para um exame escrito ou uma prova oral,…

Estudar tornou-se para muitos um sacrifício ou obrigação. Cedo surgem as desculpas: «Não consigo», «Não sou capaz». É preciso envolver os estudantes no seu processo de aprendizagem e partir da ideia de que todo o aluno é capaz. Para isso é necessário que seja orientado na organização do seu estudo e motivado na escola.
A participação tem um custo de 15€ e envolve entrega de material de apoio. O pagamento deverá ser realizado antecipadamente aquando das inscrições.

Inscrições limitadas à lotação da sala

 

Orientado para alunos do 6º, 9º, 11º, 12º e Universitário

Formação disponível para realização directamente em escolas, colégios e universidades

 

Formador:

Renato Paiva é licenciado em Educação pela Escola Superior de Educação de Setúbal, especialista e mestre em Multimédia na Educação pela Universidade de Aveiro. Autor dos livros “SOS – Tenho de passar de ano” e “Ensina o teu filho a  estudar”. É consultor pedagógico de várias instituições de ensino e formador de professores   Executa coaching de alto rendimento escolar e dá apoio terapêutico-pedagógico a crianças e adolescentes com dificuldades de aprendizagem. Marca presença assídua nos meios de comunicação social onde é frequentemente convidado como especialista em Pedagogia.

Inscrições aqui

alcacer1

Em Álcacer do Sal, em dia de futebol e pela noite dentro, um grupo de pais e professores encheram a sala para uma sessão de formação sobre “Como ajudar a promover o estudo”.

Numa região preocupada com o sucesso dos alunos, o CLDS – Contrato Local para o Desenvolvimento Social, efectuou um convite ao formador Renato Paiva para partilhar em contexto estratégias de acção parental e profissional.

Não só os pais ou as escolas se mobilizam para a organização destas acçoes e é agradável constatar que a sociedade civil está atenta e interventiva.

paisatlantico

Numa noite fresquinha de 6ªf, que tudo convidava para ficar em casa no quentinho, mais de uma centena de pais e profissionais responderam ao apelo do Colégio Atlântico no Seixal para aprenderem mais sobre “como apoiar e promover o estudo”.

Pelo formador Renato Paiva, foram muitas as questões apresentadas e discutidas que enriqueceram os presentes com diferentes pontos de vista, diferentes estratégias para intervir, que erros identificar e contrapor.